Desenho e Pintura Digital e Scanner

Arte digital

Uma obra digital é uma obra realizada por computador com recursos a diversos softwares apropriados para pintura e desenho digital, manipulação de imagens, fotografia, etc.. Este tipo de arte tem como objectivo da dar vida virtual e de demonstrar que a arte não é só feita à mão. As obras digitais são geralmente apreciadas em espaços digitais e em diferentes medias.

Pintura digital:

Trata-se da criação de obras usando programas característicos de edição de imagem que simulam pinturas a óleo, acrílico, aguarela, tinta-da-china, etc.

Desenho digital:

É produzido através de ferramentas digitais que simulam as utilizadas na arte tradicional,

Nesta categoria encaixam -se a pintura digital, ilustração digital, trabalhos de Oekaki, etc.

Scanner:

Scanner é um hardware que permite digitalizar imagens, fotografias e textos imprimidos para o computador, ou seja, o princípio básico do scanner é analisar e processar uma imagem; o scanner captura imagens e textos permitindo que o utilizador salve informações num arquivo.

Existem vários tipos de scanner, entre os quais:

  • Scanners de mesa: assemelha-se a uma fotocopiadora. Neste tipo de scanner basta colocar o papel no e fechar o tampo para que a folha seja digitalizada para o computador.
  • Scanners de mão: assemelha-se a uma rato grande, para digitalizar basta passa-lo sobre o documento em questão.
  • Scanner cilíndrico: é geralmente usado para trabalhos profissionais. Este scanner faz leitura a partir de fotomultiplicadores.

 A resolução de um scanner é influenciada pelos seguintes factores:

  • Tipo do scanner
  • Tipo de sensores
  • Interpolação
  • Sistema óptico
  • Ruídos
  • Escala de resolução

Num scanner existe diferentes tipos de resolução:

Resolução óptica e real:

DPI (dots per inch) : pontos existentes por polegadas. Esta é a resolução mais importante a ter em conta na escolha de um scanner.

Resolução interpolada:

É a resolução artificial. A interpolação é geralmente útil para casos onde é fundamental ampliar o tamanho de uma imagem, a interpolação impede a imagem não sofra grandes perdas de qualidade.

A qualidade de interpolação depende da resolução óptica. Quanto maior for a resolução óptima, melhor será a interpolação.

Publicado em Imagem Digital | Publicar um comentário

Operações de Manipulação e Edição de Imagem:

Em que consiste a manipulação de imagem?

A manipulação consiste na aplicação de conhecimentos de técnicos de softwares adequados a fim de aperfeiçoar e modificar completamente as imagens. A manipulação é geralmente usada para criar ilusões. A manipulação de imagens é algo muito mais do que processos e capacidades técnicas, pois esta tem sobretudo um impacto ético e cultural na sociedade. Actualmente, a manipulação de fotografias está presente no nosso dia-a-dia em vários tipos de média, por vezes de forma exagerada, desde corpos perfeitos a paisagens inexistentes.

Edição/ Optimização de uma imagem

A optimização de uma imagem consiste na alteração de diversos aspectos, entre os quais:

  • Alteração do tamanho da imagem
  • Remoção do ruído
  • Mudança selectiva da cor
  • Correcção da lente
  • Focar e suavizar a imagem
  • Alterar a profundidade da cor
  • Alterar a luminosidade e o contraste
  • Etc..

Exemplo de foto manipulação:

Publicado em Imagem Digital | Publicar um comentário

Máscaras e Filtros no Photoshop

Filtros são componentes que modificam as características de uma imagem a partir de padrões reguláveis, personalizando a imagem ao nosso gosto. Existe uma grande quantidade de filtros no Photoshop, abaixo irei descrever alguns deles:

Artísticos  (Artistic)

Estes filtros, inspirados em técnicas artísticas, modificam uma fotografia dando-lhe características dessas mesmas técnicas. Ou seja, conseguem transmitir a sensação de pinceladas, traços, etc…

Filtro Cutout: modifica a imagem de forma a parecer que foi criada a partir de diferentes pedaços de papel.

Smudge Stick: dá a sensação que a fotografia foi pintada e que as cores semelhantes foram suavemente espalhadas. É um efeito bastante interessante.

Sponge: modifica a imagem de forma a simular que a mesma foi pintada com uma esponja.

Palette Knife: adiciona “marcas” de faca, dando a sensação que a imagem foi esculpida

Underpainting: dá a sensação que a imagem foi pintada sobre uma superfície texturada. Quando menor for o tamanho do pincel, mais detalhada ficará.

Film Grain: acrescenta um pouco de ruído à imagem, empregando pontos minúsculos, dando uma sensação de imperfeição.

Tracejados de pincel (Brush Stokes)

Esta categoria de filtros cria e modifica os traços da imagem, reforçando-os, escurecendo-os e acentuando-os.

Accented Edges: este filtro salienta as arestas da imagem. Obtêm-se o efeito desejado regulando a largura, brilho e suavidade.

Angled Strokes:  forma traços que inclinam-se a para ângulos opostos.

Crosshatch: este filtro é muito parecido ao angled strokes, todavia cria rastos de tinta que se cruzam entre si.

Dark Strokes: cria traços no desenho com intensidade muito escura.

Ink Outlines: este filtro cria borrifos e jactos de tinta preta por toda a imagem.

Spatter: este filtro borrifa a imagem parecendo que esta foi pintada com sprays. O tamanho e a suavidade da pintura podem ser regulados pelo utilizador.

 Distorções (Distort)

Esta categoria proporciona diferentes filtros de distorção de imagem. Podem ser usados para inúmeros aspectos: modificar rosto/corpo, criar sensações de movimento, etc.. Estes filtros podem mudar por completo uma imagem.

Pinch: O filtro usa exactamente o meio da imagem e aplica uma espécie de distorção de encolhimento nessa parte.

Twirl: forma um redemoinho, deixando a imagem enrolada no meio.  Quanto maior for o ângulo escolhido, mais deformada a imagem ficará.

Polar Coordinates: este filtro une todos os vértices da imagem, criando um círculo.

Rascunho (Sketch)

Esta categoria de filtros transforma a imagem de maneira a assemelharem-se a rascunhos feitos à mão. Todos os filtros apresentam-se a preto e branco, excepto o Water Paper

Bas Relief: cria um efeito de baixo-relevo na imagem

Chalk and Charcoal: cria a sensação de que a imagem é feita a partir de giz e carvão, formado por traços rápidos e grosseiros.

Conté Crayon: dá um efeito de giz na imagem

Graphic Pen: cria um efeito de pintura com caneta de tinta-da-china .

Halftone Patter: transforma a imagem em quadrículas pretas e brancas.

Note Paper: dá a sensação de desenho feito em papel de caderno.

Photocopy: cria efeito de uma fotocopia mal-feita. Este filtro une os elementos que estão mais próximos e deixa-os pretos e lisos.

Plaster: Cria uma espécie de molde de gesso a partir da imagem.

Water Paper: dá à imagem um efeito de papel molhado

Estilizar (Stylize)

Esta categoria tem o objectivo de dar um efeito completamente,  personalizando a imagem de maneira diferente e original.

 Glowing Edges: torna as arestas extremamente brilhantes e coloridas e preenche a preto o resto da imagem. Dá a sensação de néon.

Wind: cria uma espécie de ventania manchando a imagem para um lado à sua escolha

Dar Textura (Texture)

Esta categoria dá diferentes texturas a imagens

Craquelure: deixa a imagem toda “quebrada”. O utilizador pode regular o tamanho das quebras, espaçamento e o brilho desses espaços.

Grain: Torna a imagem completamente granulada.

Mosaic Tiles: cria na imagem ladrilhos de mosaico. O tamanho do mosaico e o espaço entre os mesmos é regulável.

Patchwork: torna a imagem quadriculada, dando a sensação de que são vários bordados ligados.

Stained Glass: cria um vitral por toda a imagem, fragmentando a mesma em pedaços de vidro colorido. Quando menor for a dimensão dos pedaços, mais detalhada permanece a imagem.

Texturizer: aplica uma textura à escolha sob a imagem.

Desfoque (Blur)

Gaussian Blur: é um filtro bastante usado no Photoshop, basta o controle de intensidade para desfocar a imagem ao gosto do utilizador.

Motion Blur: desfoca, criando a impressão de movimento. Neste filtro é preciso seleccionar o ângulo de movimento e a distância da mancha.

Ruidos (Noise)

Esta categoria adiciona à imagem toda a espécie de ruídos: manchas, pontinhos, etc…

Add Noise: Neste filtro o utilizador adiciona muito ou pouco ruído na imagem. Com este filtro podemos criar a sensação de uma imagem da televisão estática

Dust and Scratches: Este filtro é geralmente usado para remover manchas e rabiscos.

Acabamento (Render)

Esta categoria fornece algumas opções básicas de acabamento de imagem, incluindo a iluminação.

Lens Flare: dá a sensação que a leite focou alguma luz extremamente forte. Se for usado com cuidado, pode tirar a artificialidade de algumas fotografias.

Lighting Effects: com este filtro podemos criar iluminação nas fotografias.

Máscaras:

Embora as máscaras serem muito práticas e facilitarem imensos processos de edição de imagem, existem muitos utilizadores do Photoshop que desconhecem esta invenção.

As máscaras funcionam como uma espécie protecção. Esta é colocada sobre a zona pretendida e protege completamente a mesma. Geralmente a máscara é utilizada para recortar pessoas e objectos.

Publicado em Imagem Digital | 2 Comentários

Resolução de uma imagem

Resolução de imagem refere-se ao nível de detalhe que uma imagem possui. Quanto mais maior for a resolução, maior será o detalhe que a imagem contém.

A resolução de uma imagem pode ser medida em diversas maneiras, entre as quais:

PPI

Significa “pixels per inch” (pixéis por polegada) e reporta-se à resolução de uma imagem, de uma camara digital ou até de um monitor. PPI é uma medida que contabiliza a quantidade de pixéis em uma polegada. Quanto maior for o ppi, maior a quantidade de detalhes.

Como se mede?

Para medir o PPI basta dividir a quantidade máxima de pixéis da imagem (horizontal/vertical) pelo seu tamanho (horizontal/vertical).

Exemplo: um monitor possui uma resolução máxima de 1024×768 e mede 11 polegadas por 8,5.

1024:11=93,09 , logo o PPI máximo é de 93

DPI

Significa “dots per inch” (pontos por polegada). Esta medida refere-se a imagens gravadas noutro suporte não digital (papel, etc) por uma impressora. DPI expressa a quantidade de pontos  que existem em uma polegada.

Porque é que as pessoas costumam confundir PPI com DPI?

As duas medidas são muito semelhantes porém DPI é aplicado a impressoras e em documentos impressos, enquanto PPI é usado em monitores e imagens digitais, porque monitores são composto por pixéis enquanto uma impressão é composta por pontos.

LPI

Significa “lines per inch” (linhas por polegadas), é uma medida usada para lentes e impressões .

Publicado em Imagem Digital | Publicar um comentário

Formatos de Codificação de Imagem:

ABO (Adaptive Binary Optimization)

Este é um formato de compressão sem perdas desenvolvido por MatrixView Ltd.

GIF (Grafic Interchange Format)

É um formato de imagem de mapa de bits que trabalha com uma paleta de 256 cores e foi desenvolvido pela CompuServe, em 1987. Devido ao número de cores, este formato é geralmente usado em ícones ou imagens com poucas cores.

Com este formato é possível usar um fundo transparente e permite que uma sequência de imagens sejam salvas num único arquivo (formando uma animação).

Este formato de compressão não altera a qualidade da imagem e consegue criar imagens com tamanho reduzido o que foi fundamental no começo da internet, devido á baixa velocidade da mesma.

PNG ( Portable Network Graphic)

Este formato foi lançado em 1996, como substituto ao formato GIF, pois em 1994 o formato GIF passou a conter algoritmos patenteados.

O formato PNG é melhor que o GIF pois pode-se trabalhar com o esquema de 24 bit (16.8 milhões de cores), também possui recurso de transferência, não proporciona perda de qualidade e não ocupa muito espaço no disco.

TIFF (Tagged Image File Format)

O format TIFF foi desenvolvido em 1987 pela empresa Aldus (actualmente pertence à Adobe).  Este formato não sofre perda de qualidade, permite armazenar imagens a preto e branco e a cores. Suporta também vários modelos de cores (RGB, CMYK, LAB)

PSD

O formato PSD foi criado pela Adobe para guardar imagens editadas por softwares da mesma empresa. É um formato que ocupa imenso espaço no disco pois guarda todas as propriedades da imagem. Neste formato é possível que uma parte da imagem fique transparente.

JPEG (Join Pictures Expert Group)

JPEG é um dos formatos mais usados para comprimir imagens que pode trabalhar com um esquema de cores de 24 bits. Este formato é muito famoso pois permite formar imagens fiéis à original e ocupam pouco espaço no disco.

Este tipo de formato pode conter diferentes níveis de compressão. Quanto maior for a compressão menor será o tamanho da imagem.

Publicado em Imagem Digital | Publicar um comentário

Codificação de Imagem:

Em que consiste?

A compressão de imagens consiste em comprimir os dados das mesmas. O objectivo da compressão é reduzir a informação redundante presente nas imagens., de maneira a armazenar e transmitir essas mesmas informações de forma eficaz.

 O tipo de compressão pode ser dividido em duas diferentes categorias: a compressão com ou sem perda  de dados.

 A compressão sem perdas é usada, geralmente, em imagens em que é importante manter a sua qualidade e exactidão. Ex: fotografias profissionais, radiografias…

A compressão com perda é usada em circunstâncias onde a portabilidade e a redução do tamanho da mesma são mais importantes que a qualidade. Todavia não se ignora completamente a qualidade das imagens.

Como as máquinas fotográficas digitais gravam mais informação do que o olho humano consegue detectar, a maioria dos sistemas de compressão usam este facto, eliminando os dados irrelevantes. O formato JPEG usa este tipo de compressão.

Tipos de compressão sem perdas de dados: 

  • ABO (Adaptive Binary Optimization)
  • GIF
  • PNG – Portable Network Graphics
  • TIFF
  • RLE

 

Tipos de compressão com perdas de dados: 

  • Fractal compression
  • JPEG
  • Wavelet compression
  • Cartesian Perceptual Compression (CPC)
  • DjVu
Publicado em Imagem Digital | 1 Comentário

Introdução à imagem digital, definição de pixel e cores digitais:

Imagem e Fotografia Digital:

O aparecimento das imagens digitais é resultante do processo de desenvolvimento das ciências da informação. As primeiras imagens digitais surgiram na área da astronomia e progressivamente foram-se expandindo para outras áreas, tal como a medicina até que finalmente chegaram ao público em geral.

Curiosidades:

Em 1957, Russel Kirsch, no NBS, criou a primeira imagem digital.

Em 1975, a Kodak lançou a primeira máquina fotográfica digital. Esta máquina tirava apenas fotografias a preto e branco com uma resolução aproximadamente de 100×100 pixeis (0,01 megapixéis), pesava 3,6 quilogramas e demorava 23 segundos a tirar uma única fotografia.

Definição:

Uma imagem digital é uma imagem bidimensional, que emprega um código binário de modo a permitir o seu processamento, transferência, impressão ou reprodução.

Há dois tipos principais de imagem digital:

Imagens de rastreio (raster) e imagens vectoriais.

As imagens raster são imagens formadas por um conjunto de pontos definidos por valores numéricos, no qual cada ponto representa um pixel. A desvantagem deste tipo de imagem é que ao aumentarmos as medidas da imagem em questão, os pontos irão repartir por uma área maior, tornando a imagem mais indefinida. As imagens raster são geralmente imagens fotográficas

As imagens vectoriais são originadas a partir de desenhos (rectas, pontos, curvas, polígonos simples, etc).

A vantagem deste tipo de imagem é que esta pode ser aumentada sem perda de qualidade, ao contrario da raster e o seu tamanho costuma ser menor que as raster. As imagens vectoriais costumam ser usadas para desenhos técnicos de engenharia.

Definição de Pixel

Pixel é elemento mais pequeno que forma uma imagem digital, sendo o conjunto de milhares de pixéis que compõem uma imagem. Geralmente, é concedida uma cor a cada pixel.

O pixel não precisa apresentar forçosamente a forma de um pequeno quadrado.

A palavra pixel pode significar diversas realidades, conforme o contexto em que o termo se encontra inserido.

Por exemplo, o pixel pode:

  • Ser representado por valores numéricos: Pixéis por polegada, Pixéis por linha, Número de pixéis existentes numa câmara digital, etc.
  • Ser considerado uma medida (“ A imagem é de 1024×728 pixeis”)

É importante salientar que um megapixel corresponde a um milhão de pixéis.

 Cores Digitais

A cor é considerada uma percepção visual provocada pela acção dos feixes de fotões sobre células da nossa retina que transmitem sensações para o nosso sistema nervoso. E todos nós vemos as cores de forma subjectiva.

As cores das imagens digitais são definidas através de diversos modelos de cor.

Os modelos de cor são sistemas usados para organizar e definir cores através de um conjunto de propriedades básicas que são reproduzíveis. Estes foram desenvolvidos de maneira a uniformizar a forma de como as cores são especificadas em formato digital, de modo a produzi-las com rigor em qualquer tipo de hardware.

Modelos de cor:

RGB

O modelo de cores RGB é um sistema de cores aditivo (as cores são formadas adicionando luz a cada uma das cores intervenientes no processo)., inspirado na teoria de visão colorida tricromática e tem como base as cores: vermelho, verde e azul. Este modelo pode produzir até 16,7 milhões de cores. Este é o modelo mais usado e conhecido.

Como funciona?

Uma cor no modelo RGB é formada através da indicação da quantidade de vermelho verde e azul que esta contém.

Cada uma destas três cores pode variar entre o mínimo e o máximo de uma escala de 0 a 255.  Quando todas as cores estão no número zero, o resultado é preto. Se todas estão no máximo, o resultado é branco.

  • Branco – RGB(255,255,255)
  • Azul – RGB(0,0,255)
  • Vermelho – RGB(255,0,0)
  • Verde – RGB(0,255,0)
  • Amarelo – RGB(255,255,0)
  • Magenta – RGB(255,0,255)
  • Ciano – RGB(0,255,255)
  • Preto – RGB(0,0,0)

CMYK

O modelo CMYK tem como base as cores primárias (azul ciano, magenta, amarelo) e o preto.  É usado geralmente em impressoras e fotocopiadoras. Neste modelo cada cor é descrita com uma percentagem (de 0% a 100%), sendo que quanto maior for a percentagem, mais escura a cor será. Este modelo é um modelo subtractivo de cores pois cria cores absorvendo luz.

Razões para que o preto fosse introduzido neste modelo:

  • O preto produzido pelas cores primárias não ser puro.
  • O pigmento preto é o mais barato de todos
  • Usar as três cores primárias para formar o preto faria com que os textos imprimidos demorassem muito tempo a secar

LAB

 O modelo LAB  é um modelo matemático que foi criado em 1931 pela CIE (La Commision Internationale de L’Eclairage)  e foi inspirado na forma como o olho humano percepciona as cores . Em 1976, o modelo foi melhorado de forma a garantir cores mais consistentes, independentemente das características do hardware. Este modelo funciona através de um canal de luminosidade e de dois canais de cor (a e b).

Publicado em Imagem Digital | Publicar um comentário